Todos a bordo? Próxima estação: Amsterdã, Holanda.

Depois de Paris, Bruxelas e Bruges, seguimos com a família para a capital holandesa e maior cidade dos Países Baixos.2015-08-03 10.56.07Curiosidade: Holanda ou Países Baixos (Netherlands)?

O nome oficial do país é (Reino dos) Países Baixos, que consiste em doze províncias. Duas dessas províncias, a Holanda do Norte e a Holanda do Sul, formam juntas a Holanda. Devido ao poder marítimo e econômico dessas províncias no século XVII, os Países Baixos passaram a ser conhecidos como Holanda no mundo todo. E quem nasce nos Países Baixos é chamado de neerlandês. A confusão é tanta que o que vale mesmo para nós, brasileiros, é que podemos chamar o país de Holanda e quem nasce lá de holandês mesmo, sem problema algum. Pronto, resolvido! :)))

Mas por que Países Baixos?

A Holanda, e também a Bélgica e Luxemburgo são considerados “países baixos” porque mais de 50% de seus respectivos territórios estão abaixo do nível do mar. Daí vem a expressão “Países Baixos”:)))

Depois dessa micro aulinha de história, vamos ao que interessa, né? Aí vão as nossas dicas de lá e um pouco do que fizemos em “terras alaranjadas“.

CHEGANDO EM AMSTERDÃ

A gente estava em Bruxelas, na Bélgica, e o jeito mais rápido de chegar em Amsterdã seria o trem. Eu disse seria. A viagem de trem dura apenas 1h50 e há trens de hora em hora, praticamente. Mas na época que fomos (de 2 a 5 de agosto) tudo estava muito cheio e muito caro. Para ver horários e preços de trem, clique aqui no site da SNCF ou aqui no site da Thalys.

2015-08-02 13.59.13Então fomos de ônibus mesmo. E olha que foi uma viagem tranquilaça. A diferença de tempo de viagem nem é tão grande. De ônibus o trajeto Bruxelas-Amsterdã é feito em apenas 3 horinhas. Show! Ainda mais quando a passagem custa somente 15 e o ônibus tem até Wifi. Aí é lindo, né não? Dá para comprar online diretamente com a empresa subsidiária da SNCF (trens franceses). É só clicar aqui no link da empresa IDBus.2015-08-02 14.33.13
O ônibus sai de uma rua ao lado da estação Bruxelas Midi/Zuid e chega em Amsterdã na estação Sloterdijk. De lá, a gente pegou um trem para a estação Schiphol (aeroporto), pois nosso hotel era para aquelas bandas de lá. Se você for ficar no aeroporto ou no centro de Amsterdã, é bem fácil e rápido o trajeto de trem a partir da moderna estação Sloterdijk. Preço dessa passagem separada: 4,25€ (para estação Aeroporto Schiphol). 2015-08-02 17.03.49Mas em Amsterdã há um cartão de transporte local que vale a pena. Principalmente para quem fica hospedado fora do centrão da cidade. O cartão dá direito a andar em quaisquer meios de transporte, ilimitadamente pelo período de 1, 2 ou 3 dias: em trem, tram (metrô de superfície), ônibus e até ferry boat (só não valem para aqueles barcos que fazer tour, é claro).2015-08-06 10.55.34Preços do GVB Unlimited Travel Card, vendido no aeroporto Schiphol: 1 dia (15€), 2 dias (20€) e 3 dias (25€). Esse foi o bilhete que compramos e que valeu muito a pena, porque ficamos hospedados longe do centro da cidade. O legal é que ao mesmo tempo ele é bilhete e mapa da cidade. Há outros bilhetes à venda também. Clique aqui para acessar o site da empresa GVB e saiba mais.

Como usar o cartão de transporte

2015-08-06 11.07.40Um detalhe importante a saber é que sempre ao usar um transporte em Amsterdã é preciso VALIDAR o tíquete antes e depois da viagem. Ou seja, tem que passar o cartão na maquininha amarela da estação antes de entrar no trem. Ou já dentro no tram ou ônibus. E NA HORA DE SAIR TAMBÉM. É bom ficar atento a isso, porque antes de sair do tram ou ônibus tem que passar o cartão na maquininha de novo. Caso não faça isso, o cartão pode travar e aí dá problema.

Outra dica é ficar ligado ao entrar nos trams (metrô de superfície). Existem portas certas para entrar e para sair. Tudo pensado para facilitar o fluxo das pessoas. Então procure usar as entradas com a setinha verde. O símbolo de proibido é uma bolinha vermelha com traço branco.

HOTEL

O melhor custo-benefício pra gente foi ficar no Van der Valk Hotel Schiphol A4. Esse hotel tem seus pontos positivos e negativos.

O problema maior é que ele é bem afastado, porque fica a 10 minutos de ônibus do aeroporto Schiphol, que já é longe do centro.

Mas ele oferece um ônibus (transfer) gratuito que sai de 40 em 40 minutos, do aeroporto ou do hotel. 2015-08-02 18.04.39O Van der Valk é aquele hotel estilão resort, sabe? E oferece 2 categorias de quarto. O quarto superior fica numa ala nova (I AM Hotel) e é excelente. Quarto gigante, tem varanda, bem decorado e todo moderno. O melhor chuveiro da viagem até agora hehehehe. O hotel também oferece piscina, academia e sauna, mas não usamos nada disso.Amsterda1A nossa reserva não incluía café da manhã. Mas isso pode ser muito bem resolvido no pequeno complexo de restaurantes em frente ao hotel. Lá tem também Burguer King, KFC e até um Casino. Há dois outros restaurantes excelentes também: um que serve uma costelinha sensacional e outro, com várias saladas e produtos orgânicos das fazendas ao lado do hotel. Não lembro o nome deles agora, mas aconselho a comer neles ao invés de comer no próprio hotel.Amsterda2Para quem não tem pressa, dá para ficar neste hotel tranquilamente e passar o dia visitando as atrações no centro de Amsterdã. Mas se você não atura essa logística toda, fique no centro mesmo. É que quando fomos os preços dos hotéis centrais estavam 3 vezes mais caros. Hotéis baratinhos, como o Ibis por exemplo, estavam cobrando cerca de R$ 700,00 a diária. Aí não dá!

O QUE FIZEMOS

– Madame Tussauds: as meninas da família quiseram conhecer o museu de cera da cidade. É um passeio bem rápido e que compensa comprar aqui pela internet, para evitar as filas na entrada e para pegar o desconto online.

Amsterda3– Heineken Experience: uma visita a fábrica original da Heineken e que vale a pena para quem aprecia a cervejinha. Maury, Rosângela e Carolina se divertiram no tour que inclui degustações e conta a história da empresa, bem como os processos de fabricação. A lojinha que fica ao final é aberta ao público. Se quiser comprar uma lembrancinha de lá, nem precisa fazer o tour. Dica: fique de olho ao sair do tour, pois algumas promotoras oferecem um passeio de barco pelos canais gratuitamente. É para eles levarem até uma outra loja da Heineken e para vender mais coisas a bordo. Mas acaba que compensa pegar pois o passeio é GRÁTIS e ninguém é obrigado a comprar nada. :)))

– Red Light District: não dá para deixar de passar pelas ruas onde a luz vermelha domina. É o famoso quarteirão onde a prostituição está exposta em grandes vitrines. Para quem não sabe a prostituição em Amsterdã é um trabalho legalizado e, assim como médicos, advogados, dentistas, as prostitutas têm direitos trabalhistas e pagam impostos sobre o que recebem. O bairro faz parte da cidade como qualquer outro. Tanto é que há igrejas e escolas bem próximas e funciona tudo normalmente. Atenção: fotografias são proibidas e é aconselhável seguir essa regra, ok?

– Coffeeshops: a cidade também é liberal quanto ao consumo de maconha. Mas veja bem: o consumo de maconha e derivados em Amsterdã não é legal, é apenas tolerado sem punição, seguindo algumas regras específicas muito bem fiscalizadas. E o único lugar onde é possível comprar é dentro de um coffeeshop. E vale dizer que o estabelecimento não pode vender mais de 5g da droga para um cliente, por dia. Há vários na cidade e os mais famosos são da rede Bulldog. Aqui nesse post do blog Ducs Amsterdam dá para entender melhor as diferenças entre os coffeeshops e os cafés da cidade.Ams

– Lojas de queijos: e se tem uma coisa boa demais em Amsterdã são as lojas de queijos holandeses. Olha o ratinho véio aqui de volta hehehe. A Holanda é o país que mais exporta queijos no mundo e vale destacar o delicioso queijo Gouda deles. Hummmmm… O que no Brasil é super caro, em Amsterdã era outra coisa. Precinho camarada e tudo uma delícia. Uma das famosas lojas é a Henri Willing Cheese & More. Passamos lá e depois sentamos no hotel para uma rodada de queijos e vinhos. Maravilha pura!

– Van Gogh Museum: atração imperdível e que vale a pena comprar pela internet. Até porque você pode marcar o dia e o horário a visitar. Dessa forma não pega nada de fila. Quando fomos, os ingressos pela internet estavam esgotados e ficamos na fila um bom tempo até entrar. Clique aqui para ver os preços e planejar sua visita.

2015-08-03 16.59.36

Fila que não pegamos para a Casa de Anne Frank:)))

– Casa de Anne Frank: simplesmente emocionante passar por esse museu, que foi o casa onde Anne e sua família “mergulharam” durante a Segunda Guerra Mundial. Dá para sentir o sofrimento passado por eles ao se esconderem dos nazistas. E ao mesmo impressiona toda a leveza descrita no diário de Anne. É uma das atrações mais visitadas na cidade e costuma ter uma enorme fila na entrada. Para evitar isso, compre online e marque o dia e horário. Há também a opção do ingresso+programa educativo, em que falam um pouco mais sobre a Casa de Anne numa sala de aula. Mas só vale mesmo comprar esse ingresso se não houver mais o normal, pois tudo o que é dito está no livrinho-guia que entregam na entrada (em Português).

– Passeio de barco pelos canais: há várias opções e a gente pegou um bem baratinho já no final do dia, quando já estávamos a caminho da Estação Central. Pagamos 10 por pessoa e o passeio durou 1 hora. E durante o trajeto é possível ouvir a gravação que explica um pouco mais sobre alguns pontos turísticos em que passa ao lado.

Foi isso em Amsterdã. Ainda tem muita coisa legal para uma próxima visita à cidade. E como em toda viagem, sempre faltou uma coisinha ou outra pra ver ou conhecer. Faz parte, né?

2015-08-03 16.52.34E foi de lá que nos despedimos da família, que voltou de trem para Paris e depois para o Brasil. Aliás, Maury, Rosângela e Carolina pegaram o mesmo trem da empresa Thalys que sofreu o atentado há alguns dias. Graças a Deus não aconteceu nada com ninguém. E parabéns aos homens que evitaram uma catástrofe. Vida que segue!

Enquanto isso, eu e Luísa pegamos o voo da Easyjet rumo a Dubrovnik na Croácia. Em breve contaremos por onde mais passamos em terras croatas.Amsterda5Mais uma vez muito obrigado aos passageiros especiais da Locomotiva que vieram nos ver, Maury, Rosângela e Carolina. Foi show.

Até já, pessoal!