Usando as palavras do clássico fado “Balada da Despedida” criado pelo poeta, cantor e compositor Fernando Machado Soares, nos despedimos de Coimbra. 2015-06-17 22.23.39Foram 2 noites e depois de caminharmos uns 13Km só no primeiro dia, acredito que deu para conhecer a cidade toda a pé… E deu para conhecer uma boa dorzinha nas pernas também (rsrsrs). Sem contar que chegamos bem no dia de uma Feira Medieval que acontecia no centro histórico e tinha de tudo. Cobras, falcões, danças de época e comidas preparadas como na Idade Média. Parecia que éramos figurantes no meio de um filme… rsrsrs

2015-06-17 22.28.39A Cidade do Conhecimento tem sim seus encantos: a Universidade de Coimbra (fundada em 1290) e a sua Biblioteca Joanina, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, a Quinta das Lágrimas e suas fontes (Dos Amores e Das Lágrimas) – palco do amor vivido por D. Pedro, futuro Pedro I de Portugal, e Inês de Castro, que foi morta pelo então Rei D. Afonso IV, pai de D. Pedro.

2015-06-17 22.34.25Depois de muita ladeira e muitos degraus, visitamos o Jardim Botânico da cidade, o Parque Verde, e paramos para comer um arroz de bacalhau muito bom no restaurante Solar do Bacalhau. À noite fomos ao Café Santa Cruz ouvir um fado ao vivo e grátis :))))))

2015-06-17 22.38.14No último dia, aproveitei para aparar as madeixas na Barbearia Adonis. Foi engraçado ficar um bom tempo esperando a minha vez e ouvindo os portugueses contando piadas deles mesmos kkkkkkkkk. E o Jorge, barbeiro, conversou um tempão comigo sobre Portugal e Coimbra. Altas dicas. Fez até questão de virar a cadeira e fazer pose para a foto. hehehe Valeu, Jorge!

2015-06-17 22.31.35Saindo de lá, encontrei a Luísa e fomos almoçar no famoso restaurante Zé Manel dos Ossos, que fica no Beco do Forno. Tudo muitíssimo simples mas bem gostoso. São apenas 7 mesas bem naquele esquema “pé-sujo-do-bão”. Pedimos ‘Os Ossos‘, um arroz com feijão que é quase um risoto e super bem temperado, e um pouquinho da feijoada de javali para experimentar. Tudo uma delícia! Recomendamos.

Ah, a gente ficou hospedado no Ibis. Achamos muito bom, apesar do quarto ser bem pequeno. Mas era novinho e muito limpo. Com a diária bem em conta para essa época (R$ 132,00 a diária). Resolvemos até tomar café da manhã no próprio Ibis porque estava excelente. Custa 6,5 euros por pessoa. Quem quiser estacionar no hotel, a diária é 6 euros. Mas dá para parar na rua e pagar no esquema de Parquímetro. A gente deu sorte, porque não cobram nada depois de 12h do sábado até as primeiras horas de segunda-feira. Ou seja, se você vai num fim de semana, pare no estacionamento público de graça.

Para terminar esse post, segue o fado “Balada da Despedida” para você conhecer também.

Até a próxima então, Coimbra.