2015-06-28 16.20.14Depois de 4h10 de trem a partir de Casablanca, chegamos em Fez num calor insuportável de 44ºC. Dentro da nossa van do transfer era para estar melhor. Rogávamos por um arzinho condicionado. Mas não, não estava funcionando. Então lá dentro devia fazer uns 50ºC fácil.

A Luísa quase desmaiando de calor do meu lado e os dois rezando para chegar no Riad que reservamos. Dessa vez para passarmos 2 noites em um baita Riad para ninguém botar defeito.

Ficamos hospedados no Riad Anata. Excelente em tudo: quarto, serviços, atendimento, conforto, café da manhã. Nossos amigos Simohamed e Moustafa nos receberam muito bem. Logo depois conhecemos a dona do Riad que estava passando uns dias lá, a Valerie, uma belga que mora e trabalha em Madri. E que tinha o sonho de ter um hotel em Fez. Disse que o Riad Anata demorou 4 anos para ficar pronto. Era todo mês uma graninha enviada ao Marrocos para conseguir construir tudo. O Anata está aberto desde 2012 e é muito bacana. Indicamos esse Riad para todos que querem qualidade, conforto e tranquilidade em Fez.2015-07-06 12.33.33

Estava muito calor e por isso não saímos para visitar tudo na cidade. Fizemos apenas algumas coisas pois logo voltávamos ao hotel para tomar um banho gelado e descansar. E também porque o guia que falava português desmarcou com a gente na última hora. Acabou que andamos pela cidade sozinhos mesmo. Um grande labirinto, pra falar a verdade. Mas nos viramos bem. E com a ajuda do Google Maps no celular nem nos perdemos.

2015-06-28 19.10.53O nosso Riad estava a apenas 3 minutos de caminhada de uma das entradas da Medina (cidade antiga). Justamente da entrada principal, a do Bab Boujloud, ou The Blue Gate, ou Portão Azul. Esse portão foi construído em 1913 e é uma das atrações de Fez.

2015-06-28 18.30.54 Como a fome bateu, fomos direto ao ótimo Café Clock. Também há uma filial desse Café em Marrakesh. É um Café super descolado, cheio de estudantes e que oferece várias atrações culturais. A comida também é excelente. Vale a pena passar lá!

E depois disso andamos pelas várias ruelas e pelos Souks (mercados) da 2015-06-28 18.26.43Medina, pois as Madrasas (escolas) El-Attarine e Bou Inania que visitaríamos estavam fechadas.

À noite a Valerie, dona do Riad Anata, nos acompanhou até o restaurante que ela indicou para jantarmos. Até porque muitos restaurantes estavam fechados por conta do Ramadã. Ela nem quis jantar, só fez a gentileza de nos levar até lá mesmo.

Comemos no Restaurante Fez Café, que fica dentro do Riad Le Jardin Des Biehn. Local com um enorme jardim todo bem cuidado e com uma comida deliciosa. Os pratos são bem pequenos. Então não é daqueles lugares que dá para dividir o prato como sempre fizemos no Marrocos, mas o salmão que pedimos estava muito gostoso. Cada prato custou 7 euros.

No dia seguinte, a ideia era fazer uma baita caminhada. Mas o sol castigava e estávamos bem cansados. Então decidimos ir apenas a um dos pontos turísticos mais visitados de Fez, o curtume (ou tannerie) Chouwara. Pense num lugar cheiroso! Era a fábrica de perfumes Coco Chanel, só que sem o Chanel. :))))))

2015-06-29 11.08.17É o local onde peles de vaca, carneiro, cabra e até de camelo são tingidas em tanques construídos há séculos. Tudo de forma bem artesanal. O mau cheiro é muito por conta de um item usado no processo: o coco de pombo. E já foi até locação da novela brasileira “O Clone”. Aliás, todos lá falam disso ainda quando contamos que somos brasileiros.

2015-06-29 11.00.10Pra chegar lá é bem complicadinho se for sozinho. A gente andou bastante mas chegou um momento em que percebemos que não seria fácil. Paramos para perguntar e uma mulher logo se “prontificou” a nos levar até lá.

2015-06-29 11.08.30Realmente o caminho que ela fez a gente demoraria umas 4 horas pra chegar. E eu já preocupado pelo quanto ela cobraria por aquela “guiada”. Ela nos levou até uma loja com terraço para ver o curtume Chouwara de cima. Bem melhor pra gente! Para subir ao terraço e ouvir a explicação do dono sobre o lugar negociamos e pagamos 50 dirhams (cerca de 5 euros), para o casal. Ouvimos a explicação do dono da loja e logo em seguida ele nos levou para ver as bolsas e sapatos de couro. Não compramos nada e ele nem se aborreceu com isso. Tranquilo!

2015-06-29 11.21.30Saímos de lá e a mulher disse que nos levaria de volta ao ponto que a encontramos. Mas é claro que ela nos levou em mais uma outra loja, só com produtos a base do Óleo de Argan. Compramos um potinho baratinho de argan com jasmin para a Luísa. Saindo de lá ela nos deixou onde a “contratamos” e nem disse nada. Eu é que acabei dando 20 dirhams (2 euros) a ela. Pelo menos em nenhum momento ela cobrou algo ou pediu mais assim que entreguei o dinheiro. Sabemos também que ela ganha comissões dessas lojas. Isso faz parte dos negócios ali da cidade mesmo. Mas nada é imposto ao turista. Então, quem quiser pode ir tranquilo. Só lembre de pedir as folhinhas de hortelã antes de sentir o cheirinho agradável do Chouwara.

Ah, em Fez ainda deu tempo de conhecer 2 restaurantes bacanas:

The Ruine Garden, o restaurante do Riad Idrissi Ruine Le Jardin: para almoçar ok, bom e barato. Para jantar acho que tem coisa melhor.2015-06-29 19.31.37

La Terrasse, no hotel 5 estrelas Palais Faraj: esse sim um excelente restaurante, de comida contemporânea. Fomos jantar lá e tem uma vista incrível. Meio carinho, mas valeu cada dirham. E foi lá que conhemos as simpáticas espanholas Catherine e Susana. O papo rendeu! Uma mistura de português com inglês, espanhol e francês. Mas nos entendemos no final. E demos boas risadas… kkkkkkk2015-07-06 12.36.27

No dia seguinte, partimos de Fez no mesmo calor de 44ºC e fomos para Tânger, cidade marroquinha onde pegaríamos o Ferry Boat para a Espanha. Acho que faltou conhecer muita coisa, mas Fez foi a melhor cidade que visitamos no Marrocos. 

Simbóra então que a Locomotiva não pode parar!