Bem-vindos a terra da Paella!

Para chegar em Valência, pegamos o trem em Madri (Estação Atocha) e em apenas 1h50 chegamos à Estação Valencia Joaquin Sorolla. Muito rápido, né? É bom demais andar de trem pela Espanha. E é bem fácil de ver os horários dos trens e preços. Dá para comprar tudo pela internet e fugir das longas filas nas bilheterias durante o verão. O site é esse aqui – www.renfe.com. Só lembrando que para comprar online é necessário ter um cartão de crédito habilitado para compras no exterior.

Dá estação Joaquin Sorolla pegamos um metrô numa estação bem próxima (estação Jesús) para o nosso hotel. A dica é a mesma de sempre: chegar na estação ou aeroporto e procurar o Posto de Informações Turísticas para pegar um mapa gratuito da cidade, e já se localizar.

Em Valência foi aquela história, optamos por um hotel melhor, mais barato, porém um pouquinho fora do centrão da cidade. Ficamos no Eurostars Gran Valencia, bem ao lado da estação de metrô Beniferri (Linha 1 – Amarela). 2015-08-09 14.01.49Compramos o bilhete Bonometro, que dá direito a 10 passagens, de metrô, ônibus ou tram (linha de metrô de superfície – bondinho). Esse mesmo bilhete pode ser usado por quantas pessoas quiser. Basta passá-lo na maquininha de acordo com a quantidade de passageiros. Sai mais barato que comprar as passagens separadas, claro.

Olha o mapinha do metrô da cidade aqui abaixo: Planozonalmetrovalencia _2015

O preço deste bilhete Bonometro é 7,20 euros. Mais informações, é só clicar aqui no site da empresa de metrô de Valência. O único ponto negativo do metrô de Valência é que são poucas linhas e poucos trens também. O trem da nossa linha, por exemplo, passava de 25 em 25 minutos.

Passamos apenas 2 noites em terras valencianas, mas deu para conhecermos a cidade quase toda. E até uma ida à praia rolou.

Os nossos destaques:

Catedral de Valência: a Catedral de Nossa Senhora de Valência ou “La Seu” (nome conhecido pelos valencianos) chama a atenção pela sua estrutura e também por abrigar o verdadeiro Santo Cálice. Pelo menos é o que dizem, né?

2015-08-09 14.06.08Mercado Central de Valência: juro que nunca vi um mercado tão organizado e limpo. Impressionante como as barracas de pães, frutas, queijos, carnes e peixes se misturavam sem qualquer bagunça ou cheior ruim. A área da peixaria era impecável, com gente lavando as suas barracas a todo momento. E, claro, só produtos da mais alta qualidade. Vale a pena passar por lá e aproveitar para comer uma Paella nos restaurantes do mercado, que ficam do lado de fora do galpão. Ah, só lembrando que a Paella Valenciana original de fábrica é feita com frango, coelho e muitas verduras diferenciadas. Ao longo do tempo surgiu a versão com frutos do mar. Pedimos essa de frutos do mar. Tava boa, mas nada de muito excepcional. Só por curiosidade, a melhor paella que já comi até hoje foi no “El Molino”, restaurante espanhol em Fortaleza (Ceará).

2015-08-09 14.08.17Dica: aproveite para experimentar a “Orxata” ou “Orchata de chufas”, uma bebida não alcoólica tradicional de Valência, vendida em barraquinhas pela cidade, bem geladinha e refrescante. É tipo um leite gelado com amendoim. Apesar da cara, eu gostei!

Praia de La Malvarrosa: pegamos um ônibus até a praia. Tava quante demais esse dia. Mas nem ficamos muito tempo não, foi apenas para uma volta pelo calçadão e conhecer a praia rapidinho.

Cidade das Artes e Ciências de Valência: lugar lindão e imperdível. E ainda demos a sorte de pegar uma exposição dos 25 anos da Pixar. Para quem vai a Valência com crianças, é parada obrigatória. É como uma mega feira de ciências para a molecada. 2015-08-09 14.04.29

E ainda sobrou tempo para uma história especial de comemoração do nosso aniversário de casamento. Publicamos na nossa página do Facebook, mas vou contar aqui também.

“Aí que a gente chegou ontem em Valência (16/07/2015) e na hora do check-in eu pedi um andar alto ao José, recepcionista do Eurostars Gran Valencia. Ele me informa então que ficaremos no quarto 1607. Eu dei uma gargalhada na hora, meio sem graça, e tentei explicar pra ele o motivo, a simples coincidência de estarmos em Valência no dia 16/07, dia em que celebramos 11 anos juntos e 4 anos de casados. Casamos no dia 16/07/2011, dia em que completamos 7 anos de namoro. O José nos dá os parabéns. Até aí tudo bem. Afinal isso foi no dia 15/07. O que não esperávamos era que ele, com uma baita sensibilidade, prestou atenção a isso e, quando voltamos ao hotel, fomos surpreendidos com o quarto todo preparado. E de repente batem à porta e entregam uma champagne e uma caixa de bombons especiais. “Regalos de nuestra casa!”, disse a moça. E a Luísa achando o tempo todo que era armação minha. Mas eu tava impressionado com aquilo tudo. Pra completar, um cartão dando parabéns pra gente. Detalhe: o papel desse cartão era o mesmo papel especial do nosso convite de casamento. Que experiência bacana o José e o Hotel Eurostars Gran Valencia nos proporcionaram. Muchas, muchas gracias. É uma história melosa, mas foi impressionante e tudo muito real pra gente. Mais uma para o banco da Locomotiva Viajante e para compartilhar o incrível serviço prestado pelo hotel, que tá de parabéns, é claro.”

2015-08-09 14.16.04Para completar, fomos jantar no dia 16/07 no que foi, até agora, o melhor restaurante de todos. Chama-se Marcel-lum. E foi meio que na sorte, porque descobri o restaurante lendo um blog sem querer da cidade e resolvi arriscar. Conseguimos reservar pelo site www.restalo.es (especializado em reservas na Espanha).

2015-08-09 14.10.58Novinho, super bem decorado e com um menu pra lá de sensacional, feito pelo Chef Alejandro Platero. Por apenas 25 euros/pessoa tivemos um baita de um jantar inesquecível, com cada prato delicioso chegando à nossa mesa. Esse é o preço do Menu Compartir (jantar) e saímos super satisfeitos. Os outros menus têm mais pratos, mas nem foi necessário pra gente. Não há cardápio, é o chef que cria os pratos do dia. E todos, simplesmente TODOS, estavam saborosíssimos. Não teve um mais ou menos. E o atendimento foi impecável também. Melhor refeição da nossa viagem até agora e acho que vai ser difícil de ser batida (hehehehe). Restaurante Marcel-lum. Se for em Valência, não deixe de conhecê-lo. Indicadíssimo!2015-08-09 14.14.35

Depois das 2 noites bem passadas em Valência, partimos para Barcelona, terra de Gaudí. No próximo post contamos como foi então!

E aí, tá gostando do blog? Tem alguma sugestão pra gente? Fique à vontade para comentar. Ah, se quiser, pode nos seguir no Instagram também. Colocamos um monte de fotos lá. É só seguir o perfil locomotivaviajante. Brigadão e até a próxima parada!